Repensando a universidade brasileira

Ter, 03 de Junho de 2014 10:26 Rodrigo Travitzki Políticas públicas de educação
Imprimir

O momento é oportuno para (re)pensarmos as nossas universidades. Décadas depois do duro golpe que o Ensino Superior (principalmente os grandes educadores e intelectuais brasileiros) sofreu das didaturas militares, começamos a (tentar) reconstruir nossas instituições voltadas ao trabalho intelectual. Primeiro houve um aumento das universidade privadas (era FHC), seguido de um aumento nas públicas (era Lula), mas ainda não sabemos direito o que fazer com elas, o que fazer com o conhecimento. Para alimentar a discussão, colo abaixo um trecho do texto de Vladimir Safatle, sobre a crise na usp, e logo abaixo uma crítica mais apimentada da universidade brasileira, de Nildo Ouriques.

Sobre a crise na USP:

"Há algum tempo, nosso novo reitor afirmou que 105% do orçamento é gasto com pessoal, o que dá à opinião pública a impressão de que a situação de crise seria resultante da USP ter se tornado alguma forma de "cabide de empregos".

No entanto, uma discussão mais honesta sobre o assunto deveria começar por se perguntar sobre o que de fato aconteceu nesses últimos anos. Pois durante anos você abriu os jornais e viu fotos de estudantes e professores se manifestando por uma universidade mais transparente e de gestão democrática.

Enquanto isso, vários segmentos da imprensa aplaudiam a antiga reitoria, comandada por alguém que gostava de se ver como um "xerife" a colocar ordem em terra comandada por vândalos. Hoje, descobrimos que por anos a universidade teve uma gestão financeiramente irresponsável sem que ninguém se perguntasse se era realmente prioritário construir tantos prédios, abrir escritórios em Cingapura, alugar imóveis fora do campus, entre tantas aberrações.

Por isso, antes de qualquer discussão, seria muito mais honesto exigir com você, contribuinte que paga a universidade com seus impostos, uma auditoria pública feita por órgão independente a fim de realmente saber como o rombo foi feito e responsabilizar quem deve ser responsabilizado."

Vladimir Safatle, "Mensalidade na USP", Folha de São Paulo. Leia o texto todo aqui

Sobre a crise nas universidades brasileiras

Em ocasião do lançamento do livro "Crítica à razão acadêmica", de Waldir José Rampinelli e Nildo Ouriques, um dos autores fala sobre diversos aspectos importantes que precisamos repensar no sistema de produção de conhecimento no Brasil. O título é uma alusão ao clássico de Kant. Não li o livro, não concordo com tudo que está no vídeo, não partilho da linguagem "apimentada" de Nildo Ouriques, mas tiro o chapéu para a maioria dos argumentos que ele expõe.

Última atualização em Ter, 03 de Junho de 2014 10:59